24 de agosto de 2009

3-Keep Down #2 - Com Marcos Amaral, Bateria 3.

Are you ready? Are you to rock? Are you ready to Three Keep Down? Let’s go! Na continuação, o resto do 3-Keep Down, vamos invadir um pouco a vida de cada um aqui, e descobrir gostos e outras coisas, confira.

http://2.bp.blogspot.com/_kn6sHe_Ktug/So9W3HswHFI/AAAAAAAAALM/sLWUaqtsL8M/s320/MARCOS.JPG

(sem fotos por enquanto)
Vamos agora dar continuidade a série de entrevistas, vocês já conhecem as regras, certo? Não? Então eu explico. O 3-Keep Down é um quadro de entrevistas diferente de todos os outros, aqui são 3 pessoas, que se entrevistam, ou seja, o convidado também tem o direito de fazer perguntas. Fala-se de wrestling na primeira bateria, na segunda, esta, se fala sobre a blogosfera, e a agora será sobre vida pessoal, gostos e afins... Se quiser ser um dos próximos a participar, contate-me: rcs.93@hotmail.com... Vamos logo à entrevista...


Ricardo: Bem, ambos aqui possuem algo em comum, ambos são de São Paulo... Quando é que vocês vão treinar na BWF pra fazerem uma luta? Ou você [Marcos] só irá mesmo ficar nos comentários? E se chegar o dia de eu ir para um show, fazer uma participação especial e te chamar pro ringue rapaz? Digo o mesmo pra tu Shockmaster... hehehehe

Marcos: Não só vou pra luta, como já estão me apressando pra minha estréia. Mas vão ter que esperar. Tive uma lesão no joelho que já me dá problema a 3 semanas, e ainda não sei a gravidade dela. Mas assim que der volto pra concluir meu treinamento, e estrear.

Shockmaster: Eu quero lutar, mas não quero (Risos)! Bem, eu já fui um atleta e hoje em dia prefiro música. Se fosse para entrar no mundo do pro-wrestling eu queria ser um Valet, tipo Jimmy Hart!!!

Ricardo: Vocês já se enjoaram de tudo algum dia? Digo, cansar de blogs, cansar de wrestling, querer apertar o foda-se, jogar tudo pro ar e vamos simbora que a hora é essa! E por quê?

Marcos: Sim... E isso me afetou até hoje. Antes eu era muito obcecado com o PLL, mas aí quando um dia parei pra ver a vida, viver coisas diferentes, deixar de "nerdiar", vi que estava dando muito sangue, e deixando de lado coisas importantes. Hoje, não fico mais 24 horas por dia no PLL, até porque tenho mais alguns trabalhos, tenho família, e tenho que tocar a vida. Acho que todo mundo numa certa idade tem essa "revelação". :P

Shockmaster: Eu ameacei a sair algumas vezes da blogosfera (em outros blogs), pois tenho a doença do Jaiminho, a fadiga! Ultimamente só fico em blogs que aceitam as minhas condições, não que eu seja estrelinha, mas é porque eu tenho outras correrias relacionadas á outro gosto: musica.

Ricardo: Vocês curtem um bom rock? O nosso amigo Shockmaster trabalha na rádio-stream Black Fire Station, vamos aí, ele é DJ né, mas o Marcos aí curte música, ainda me lembro do vídeo dele zuando o talk show... Montem ai uma lista de hits que a garotada de hoje em dia mereça conhecer.

Marcos: Na verdade, eu gosto mais de J-Reggae. Mas Rock bom é o Rock clássico. AC/DC, Van Halen, Deep Purple, Metallica... Isso faz parte de uma das últimas gerações onde a música era música de verdade. Hoje só tem batida eletrônica, rock comercial modinha, e uma cambada de gringo milionário que mora em mansão e tem gravadora que se veste de mano e fala que é ladrão... Ah, por favor, né?

Shockmaster: O recado é para o pessoal que alto se denomina o fodão do rock’n roll: Conheçam o rock do seu país!!! Brasil 8.0 na Black Fire Station (http://www.blackfirestation.com.br), o melhor do rock nacional anos 80 com apresentação minha... Depois do Momento propaganda vou falar sério!!! Além do Rock Nacional, o que eu indico pra garotada é a Discografia do Duran Duran, podem falar mal de mim...

Ricardo: Vocês já pensaram em viver de wrestling no Brasil? As custas do mesmo, acham que isto é possível? Aliás, qual a profissão remunerada de vocês? :D

Marcos: A luta livre ainda não tem condições de fornecer um sustento digno ao material humano. Quem falar que é possível está mentindo. Eu ganho cachê por gravação, e os lutadores por combate. Meu trabalho remunerado é com lan house no momento. Mas, se tudo der certo pro PLL, esperamos ainda ter não só uma renda, mas também remunerar os nossos colaboradores em 2010.

Shockmater: Já pensei em viver de bastante coisa, até ser um pastor evangélico (Risos)!

Ricardo: Bem, como eu faço o papel Sonia Abrão do quadro, vou encerrar as minhas perguntas com a pergunta clichê de talk show hehehe. Digam aí, sonhos, seus gostos, lutador preferido, e é.

Marcos: Eu tenho diversos sonhos. Mas, hoje como pai, tenho a família como meta principal. Também sonho com uma nova ascensão da luta livre, pois de tantas tentativas frustradas, é uma das poucas chances que restam. Sonho também ver uma blogosfera mais ética que se una mais ao invés de um querer engolir o outro. Gosto de muita coisa, como música, humor, rádio (que é minha antiga profissão), cultura japonesa (não da forma otaku: não me visto de Naruto nem tenho a bandana da Aldeia da Folha), e claro, luta livre! Acho o Cena um bundão, e o Shawn Michaels fodão.Também inclua aí o Taker, Bradshaw (da época da APA e não a era JBL), Rey, Bret Hart, Aquiles, Fantomas, Mr. Argentina, e a lista continua...

Shockmaster: Eu não tenho sonhos definidos mas quero o bem de todo mundo e tenho um recado para todos que acham o Rey Mysterio um cara fodástico: - LARIATOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!! STAN HANSEN É FODA!!! SUUUUUUUUUUUUNRIIIIISEEEEEEE ÔOO!!! E vamos lá... É fácil conciliar a paixão pelo pro-wrestling com o profissional?

Marcos: Estou tentando conciliar, mas é complicado. Por exemplo, quando recebemos a notícia da morte do Fantomas, terminei o BWF Combate chorando. Sou novo no jornalismo esportivo, sempre trabalhei com humor. Então é difícil se adaptar quando se trabalha no que mais gosta.

Ricardo: Depende, se organizar os horários certinhos e tudo mais, dá para conciliar sim, só não pode é parar a vida por causa disto, pois a gente não ganha para isto, e eles lá ganham, e muito diga-se de passagem... Quando a funções de blogs, eu sempre dou um jeito hehe...
Shockmaster: Pra mim está sendo muito difícil! Como todos perceberam, eu não estou postando mais crônicas... É muito chato isso... Como ensinarão seus filhos a gostarem do pro-wrestling? Até quando a violência do pro-wrestling pode ser um bom gosto para as crianças?

Marcos: Por alguma ironia do destino, minha filha gosta de prowrestling desde que começou a me ver ou na BWF, ou lutando "por aí". Quando estou em casa, deitado, é frequente ela se jogar em cima de mim, e contar até 3 pra fazer o "pinfall". Acho que essa violência do prowrestling não é de mau gosto. O que pode complicar as vezes são algumas storylines, com temas um pouco mais adultos, coisa e tal. Mas, sinceramente, no mundo de hoje, prefiro que ela veja um tema adulto ser abordado junto a uma prática saudável que é o esporte do que na banalidade que a sociedade é atualmente.

Ricardo: É uma questão que eu, novinho, não tenho noção de como seja uma paternidade, não posso responder com convicção... Mas talvez eu mostre para os garotos umas lutas ou outras, pois no final das contas é melhor ele ver do meu lado, que posso conter ele de futuros ataques de pelanca do que ele ver sozinho e começar a ficar doido das idéias...

Shockmaster: Eu não sei se ensinarei o meu filho ou filha a gostar de pro-wrestling! Sei lá, quero ter uma boa figura como pai, isso eu posso demonstrar para eles! Pro-wrestling é um esporte como futebol, cada um cria o seu gosto e começa a torcer e criança é bem naquelas, torcem para um time e depois pra outro até quando cresce e tem opinião formada. Vocês são caçoados por gostar de um esporte de luta de resultado pré-determinado? Como é isso???...

Marcos: Não! Pelo contrário! Muita gente acha interessante quando digo que sou da luta livre. Claro que nem todos entendem de início, e vinculam ao wrestling amador, mas na hora que digo que é ao "estilo telecatch", todos me perguntam mais, querendo saber como anda o cenário atualmente. A maioria viu quando era criança, ouviu os pais falarem, então bate aquela nostalgia.

Ricardo: Na verdade sou, pelos colegas que curtem MMA, é aquele preconceito básico... Nem ligo para isto, pra mim tanto faz, eu leio livros de horror, mas fantasmas e monstros não existem, eu vejo filmes e vejo o zíper nas costas do monstro, por que não ver uma luta onde o soco pegue um pouco longe da face?

Shockmaster: Caçoado não, criticado sim e bem interpretado talvez. Infelizmente eu não conheço nenhum fã pessoalmente que gosta de pro-wrestling assim como eu gosto, mas de vez enquando os meus amigos acompanham pro-wrestling comigo e se espantam com os golpes que os lutadores aplicam... É cara, isso é modernização do pro-wrestling. O que o pro-wrestling ensinou de bom nessa vida para vocês?

Marcos: Cara, muitas vezes a gente vê nos programas sensacionalistas ou naqueles festivais de bunda que são os programas dominicais alguns momentos onde eles dão uma de "sóbrios" e colocam histórias de vida, exemplos de força e determinação. Mas nunca acreditamos, até que possamos testemunhar de verdade uma história dessas. Hoje eu sei o significado da palavra "determinação". Nunca vi um povo com tanta garra quanto esses lutadores. A luta livre me ensinou que no fim tudo dá certo. Se não deu certo ainda, é porque não é o fim.

Ricardo: Algumas vezes nesses exemplos um pouco clichês, mas verdadeiros... Do tipo, Triple H se lesionou e continuou, Stone Cold também, Bret Hart foi “traído” mas continuou a sua vida, sigo alguns casos assim como bons ensinamentos do wrestling, e o principal de tudo: Hoje em dia, quem é bom de papo faz sucesso...

Shockmaster: Esporte é vida e drogas é morte, dê mais vida para os seus filhos (Risos)! Olha, apesar desta parecer meio engraçada (Bordão do Sr. Serdan), foi principalmente isso que o pro-wrestling me ensinou, tantos lutadores tendo suas vidas ceifadas pelos uso excessivo de anabolizantes e de drogas...Quer exemplo maior do que esse!? Me diga uma lembrança do pro-wrestling em que vocês estiveram presentes (Vendo ao vivo)...

Ricardo: Bah... Ainda não vi um show de wrestling nem nada, mas quem sabe num dia qualquer eu não esteja? :D

Marcos: Já ocorreu muita coisa, mas nada que tenha ainda se tornado um momento marcante. Mas devo confessar que um dos momentos que mais ficou na minha memória por conta da preocupação foi um acidente em Arujá, onde o Ricardo Tadeu ao ser jogado pra fora do ringue caiu de cabeça no concreto. Na hora me lembrei de um acidente parecido que ocorreu a anos atrás com o Nino Mercury. Nessa ocasião, o Nino sofreu um derrame facial.

Shockmaster: Eu não digo marcante, mas sim tive a oportunidade de ver um luta do Belo!!! Foi uma luta contra o Michel Serdan no Clube da Polícia Militar de São Paulo (Eu acho que foi lá)...Belo é Hardcore Extremo, o “The Sheik” brasileiro!!! Doidão o cara!!!

Marcos: Seria mentira dizer que um fã de wrestling nunca tentou enveredar pelos caminhos da luta livre. Nem que seja no backyard. Já se machucaram tentando fazer algum golpe? Qual?

Ricardo: Oh my God! Oh Noh! Oh Noh! He's ready! Oh Noh! OOOH MY GOD! BULLYSHYT! Foi no épico Ass Drop, foi uma tentativa de leg drop, a mais botchada da história... Quando eu pulei, o músculo da minha perna travou, e eu cai contorcendo o músculo, daí foi um abraço pro gaiteiro... Outro foi eu trocando socos com o ar, que meti a mão no vidro e me cortei todo... Ou então o spear no meu pai, ele se esquivou e meti a cabeça na cabeceira da cama... hehehe

Shockmaster: Eu me machucar (Risos)?! Nunca me machuquei, mas já brinquei muito de pro-wrestling quando criança e machuquei muito os meus amiguinhos.

Marcos: Quais seus planos profissionais para o futuro? Envolvem a luta livre, ou vocês pretendem seguir apenas como fãs e escolherem profissões diferentes?

Ricardo: Não acredito que a luta livre vá sustentar alguém daqui a 5 anos ou mais, e mesmo assim, não vai me dar o dinheiro que quero, mas boa sorte pra quem tenta... Então eu seguirei o ramo da informática, senão o da quiímica, gosto de ambos. Ah sim, se for o caso, viro heel manager de alguém... Sou mundialmente odiado hehhe.

Shockmaster: Eu não penso no futuro como deveria pensar...:-(

Marcos: Já que falamos de música, vamos falar de cinema. Quais seus filmes favoritos?

Ricardo: Agora entenderão o vampirinho... Os vampiros de Salem's Lot, O Conde Drácula, Drácula de Bram Stooker, A Sombra do Vampiro, 30 dias de noite, entrevista com o vampiro, e alguns outros com vampiro no nomem.

Shockmaster: Pornochanchada e Filmes de terror trash, principalmente de zumbis. Tenho umas coleção de mais de 300 vhs e 500 dvds...

Marcos: Quando não estão no mundo virtual, ou quando não estão trabalhando para o blog, o que gostam de fazer?

Ricardo: Hum, e eu faço algo além disto? :S Eu gosto de... É... Ah sim, esqueci, eu sou homem né? Poxa, nisso que dá ficar só no computador... Eu gosto de ir dar umas andadas por aí, bater perna no shopping olhando a bundita das mininita biita... heuheuheue

Shockmater: Gosto de ficar na net e lendo...Sou viciado em wikipedia!!!

Marcos: Pra finalizar, deixem o lema de vocês. Aquela frase de impacto que vocês acham que tem a ver com vocês, e que servem de bom exemplo.

Shockmaster: Mostrou a cobra e matou o pau (Risos)!!! Sem nenhuma frase, mas gosto de 2 letras de músicas que dizem muito: Enjoy The Silence do Depeche mode e Duel do Propaganda.

Ricardo: Esporte é vida, drogas é morte, nunca faça isto, nem em casa, nem na escola... Ok, melhor então... Lutar? Sempre, vencer? Talvez, Desistir? Jamais... hjeuheuhuehe, ok, uma frase de efeito pra vocês e que eu gosto... "Quer conhecer uma pessoa de verdade? Dê a ela o poder" - Nicolau Maquiável.

E isto é tudo pessoal... Aguardem o próximo convidado...

0 comentários:

Postar um comentário

Gostou do artigo?

Então comente!

Obs: Ofensas, divulgação inapropriada e palavreado chulo não será tolerado.

 

©2009 Are you ready to wrestling? | Todos os direitos reservados